Buscar
  • Amvarp

Prefeitos do Vale do Rio Pardo defendem manutenção da cogestão regional

Reunidos em assembleia virtual na noite deste sábado, 20, os prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp) votaram por não recorrer da bandeira preta na classificação do governo do Estado, mas defenderam a manutenção do plano de cogestão regional, o que permite cumprir regras menos rígidas.


"A bandeira preta é um choque de realidade. O momento é muito crítico sim. Por isso optamos por não recorrer, mas também defendemos a manutenção da cogestão. Senão, iríamos da laranja direto para a preta, fechando o comércio e muitos serviços que de forma responsável cumprem os protocolos e não podem ser penalizados", disse o prefeito de Vale do Sol e presidente da Amvarp, Maiquel Silva.


A entidade, junto com a sua equipe técnica, irá protocolar nos próximos dias a atualização do plano de cogestão regional, incluindo os protocolos e restrições da bandeira vermelha, o que não está previsto no documento em vigor.


Moção em defesa do comércio


A prefeita de Santa Cruz do Sul e presidente do Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale), Helena Hermany, defendeu o envio de moção ao governador Eduardo Leite em apoio ao comércio e prestadores de serviços da região. A medida foi aprovada por todos os prefeitos.


"Os pequenos empresários e os trabalhadores que movimentam a nossa economia estão abertos de forma responsável e cumprindo os protocolos. Em caso de bandeira preta, deve haver uma flexibilização das restrições, permitindo a abertura do comércio com limitações, assim como ocorre na indústria e construção civil", afirmou Helena.


A prefeita de Sinimbu, Sandra Backes, concorda que a região está passando por um dos piores momentos da pandemia, mas acredita que as atividades econômicas, na sua maioria, seguem os protocolos. "O comércio não é o responsável pelo aumento do contágio. O governo do Estado deveria ter adotado medidas mais restritivas antes do feriado do Carnaval, evitando as aglomerações que vimos nas praias".


Encaminhamentos aprovados por unanimidade


Em sua fala na assembleia, o prefeito de Venâncio Aires, Jarbas da Rosa, defendeu a decisão de não recorrer e foi favorável ao encaminhamento da atualização do plano de cogestão. "Ainda não caiu a ficha para a população de que a situação é crítica. A nova onda está só no começo, concordo com o toque de recolher do governo do Estado e o fechamento das escolas. Mas a cogestão tem a finalidade de ajudar o comerciante, as empresas. Estamos também aumentando a fiscalização em nossa cidade".


Os prefeitos de Candelária, Nestor Ellwanger, de Rio Pardo, Edivilson Brum, e de Vera Cruz, Gilson Becker, também se manifestaram favoráveis pelos encaminhamentos da assembleia da Amvarp.

564 visualizações0 comentário