Buscar
  • Amvarp

Municípios aprovam adesão ao circuito de cicloturismo Raízes Coloniais




O grupo Santa Ciclismo recebeu hoje um importante apoio em uma iniciativa que promete movimentar o turismo, a agricultura familiar e as agroindústrias no Vale do Rio Pardo. Reunidos nesta manhã, prefeitos e representantes de nove municípios aprovaram a adesão ao projeto Raízes Coloniais, um circuito de cicloturismo com 284,2 km de extensão.


Com um custo de implantação total estimado em R$ 56 mil, as nove prefeituras que integram a Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp) irão auxiliar com as placas de sinalização do percurso. A Associação de Turismo da Região do Vale do Rio Pardo (Aturvarp) foi a responsável pela elaboração do projeto técnico. Assemp, Unisc, Sicredi Vale do Rio Pardo, Emater/RS e as escolas famílias agrícolas de Santa Cruz do Sul e Vale do Sol (Efasc e Efasol) também são apoiadores e patrocinadores, alguns com valores e outros com serviços.


O circuito de cicloturismo deve ter cinco etapas, com uma média de deslocamento de 56,8 km por dia. Ele irá passar por Santa Cruz do Sul, Vera Cruz, Vale do Sol, Herveiras, Sinimbu, Venâncio Aires, Passo do Sobrado, Vale Verde e Rio Pardo. Em cada cidade, os ciclistas encontrarão pontos de apoio denominados “Empreendimento Amigo do Ciclista”. Ali, terão a opção de abastecimento de água, lanches, refeições ou mesmo hospedagem.


A Emater/RS fará a capacitação dos empreendedores sobre a importância do turismo, das boas práticas na produção dos alimentos e da gestão econômica. Em um cenário otimista, a previsão é que R$ 1,6 milhão de recursos poderiam ser injetados anualmente na região.


Anfitrião da reunião nesta manhã, o prefeito de Vale do Sol e presidente da Amvarp, Maiquel Silva, considerou o projeto ousado e promissor, que irá incrementar emprego e renda no turismo rural da região.


“Parabenizo o grupo Santa Ciclismo e a Aturvarp pela iniciativa e elaboração do projeto. Por acreditar que podemos evoluir e desenvolver ainda mais o cicloturismo na região é que a Amvarp sente muito orgulho e prazer em ser parceira. Temos um roteiro de muitas potencialidades, precisamos explorar esses pontos para fazer com que as belezas naturais e os cenários deslumbrantes saiam do anonimato”, disse o presidente.


Também presente no encontro, a prefeita de Sinimbu, Sandra Backes, afirmou que a proposta vem de encontro ao que a maioria dos municípios da região já constatou: o crescimento da circulação de ciclistas. “Atualmente Sinimbu recebe em torno de 300 ciclistas por final de semana. A gente vê que a região tem potencial no turismo rural. Esse projeto de cicloturismo, além de fomentar a economia local e regional através dos pontos turísticos, das agroindústrias e da agricultura familiar, vai proporcionar o encantamento dos ciclistas através das belas paisagens que a natureza nos presenteia”.


Entusiasta do projeto junto com Giovane Faccin e Antonio Gomes, do Santa Ciclismo, o secretário-executivo da Aturvarp, Carlos Corrêa da Rosa, destacou a importância do apoio dos Municípios para a iniciativa.


“Esse projeto contempla uma grande visão regional, unindo turismo e agricultura familiar, experiência e sustentabilidade. Ele é como construir uma casa, conseguimos o apoio para isso, mas vamos precisar de manutenção no futuro, e fiquei contente que os prefeitos e representantes concordaram”, disse Rosa.


A previsão é que o lançamento do circuito de cicloturismo Raízes Coloniais ocorra entre novembro e dezembro deste ano.




112 visualizações0 comentário